A vitamina B12

Cobalamina 

A vitamina B12

A vitamina B12 e a saúde. O que fazer quando a vitamina B12 está baixa? Causas e sintomas de carência de vitamina B12. Alimentos com vitamina B12 e suplementos para vegans.

A importância e efeitos da vitamina B12

A vitamina B12, ou cobalamina, é um composto exclusivamente sintetizado por micro-organismos e atualmente é muito utilizado como um agente terapêutico devido á sua importância para a saúde.  A vitamina B12 tem influência em praticamente todas as áreas do organismo humano, ela é uma coenzima necessária para o metabolismo de todas as células reprodutivas e particularmente importante na formação do sangue, proteção dos nervos, multiplicação das células, sintetização do ADN, além de apoiar a produção de neurotransmissores, criação de energia e o metabolismo proteico. É especialmente relevante também na manutenção dos nervos, do equilíbrio energético e da saúde mental, a vitamina B12 vem ganhando um grande destaque e importância no tratamento de várias doenças.

A deficiência de vitamina B12 

O organismo humano absorve uma quantidade diária de vitamina B12 para se manter saudável. Uma vez que existem reservas da vitamina no fígado, esta não tem que ser obrigatoriamente ingerida todos os dias através dos alimentos, mesmo assim, a deficiência de vitamina B12 é uma condição surpreendentemente comum.

As razões mais habituais para este desequilíbrio estão relacionadas com falhas no processo de absorção da vitamina. A deficiência tem uma evolução rápida quando existem distúrbios nas mucosas gástricas e intestinais ou quando são ingeridos medicamentos que bloqueiam os seus processos.

Em outros casos, não são consumidas quantidades suficientes de vitamina B12 para as necessidades do organismo.  Em determinadas circunstâncias, o organismo processa uma quantidade mais elevada da vitamina, e em outras não são consumidos produtos de origem animal em quantidade suficiente. Mesmo dietas consideradas saudáveis apresentam em muitos casos um teor baixo de vitamina B12. Vegans e vegetarianos, em especial,  são grupos que apresentam grandes dificuldades em atingir os valores mínimos necessários para o equilíbrio dos níveis da vitamina, pois as suas dietas se baseiam em alimentos de origem vegetal. A deficiência de vitamina B12 pode causar sintomas incapacitantes e resultar em sequelas graves, mas quando detectadas nem sempre são associadas a este tipo de insuficiência vitamínica numa primeira abordagem.

O que é a vitamina B12?

A vitamina B12 pertence ao grupo das cobalaminas, denominação que remete para os seus iões de cobalto positivos centrais e esses são os únicos compostos naturais que contêm cobalto. A vitamina B12 e a cobalamina são sinônimos, são substâncias cristalinas, sem odor, de cor vermelha escura, sensíveis ao calor e á luz. No organismo, apresenta geralmente a forma de metilcobalamina. Nas mitocôndrias, ou centro das células, a cobalamina toma a forma de adenosilcobalamina (com metilcalonil-CoA mutase e leucina mutase), também denominada de cobabamida.

A vitamina B12 é produzida pelos micro-organismos na terra, em algumas algas e, em especial, no organismo de humanos e animais. Nos ruminantes, a vitamina é formada no rúmen, tornando o consumo exterior desnecessário. Outros herbívoros recolhem pequenas quantidades de vitamina B12 do solo. No caso dos humanos a vitamina B12 é produzida endógenamente por bactérias intestinais, no entanto, elas não estão passíveis de ser absorvidas pelo corpo. Esse fator torna o homem dependente da alimentação para preencher as necessidades de vitamina B12.

Formas de vitamina B12

 A vitamina B12 apresenta várias formas, dependendo das diferentes moléculas ligadas pela cobalamina. Os micro-organismos, por exemplo, produzem a hidroxicobalamina, que também pode ser encontrada nos alimentos.

No corpo humano a hidroxicobalamina é convertida em duas coenzimas bioactivas: a metilcobalamina e a adenosilcobalamina. A metilcobalamina atua ao nível do citoplasma, na mitocôndria (o centro energético das células) mas afeta também a adenosilcobalamina. No sangue são encontradas em partes quase iguais a hidroxo e a metilcobalamina e no fígado as reservas consistem em adenosilcobalamina. Atualmente existe também uma forma sintética, a cianocobalamina, que é usada geralmente pela sua produção eficaz e estabilidade em forma de suplementos. Esta forma ocorre na natureza só muito raramente como um produto de desintoxicação.

Presença

A vitamina B12 é produzida por microorganismos  que vivem na terra e nos intestinos dos seres humanos e animais. Dessa forma ela existe em maior concentração em vísceras, carne, peixe, queijo, gemas de ovo e leite (ver tabela abaixo). Além disso pode também ser encontrada na superfície de frutas e vegetais. Infelizmente, essa opção não pode ser contemplada pelo ser humano pois estes alimentos precisam, por razões de higiene, ser lavados antes do consumo, perdendo assim essa possibilidade.

O ser humano também possui essas bactérias produtoras de vitamina B12 no seu intestino, mas essa vitamina também não pode ser aproveitada.

A absorção de vitamina B12 pelo “fator intrínseco”

vitamina-B12-Factor-intrinseco

A vitamina B12 é absorvida através de uma proteína de transporte denominada fator intrínseco (FI) que permite a absorção da cobalamina por receptores específicos no intestino delgado. O FI é formado pelas células parietais do estômago.

O máximo de 1,5 microgramas de vitamina B12 pode ser absorvido através do fator intrínseco por refeição/dose. Mais de um por cento da dose é absorvida no intestino delgado por difusão passiva, de modo que o consumo total destes dois compostos se desenvolve através de mecanismos diferentes. A baixa capacidade de absorção de vitamina B12 do organismo explica porque grandes quantidades de B12 devem ser consumidas para satisfazer exigências realmente muito pequenas. Este é o caso quando o FI é eliminado devido a alguma enfermidade, por exemplo.

O fígado é capaz de armazenar grandes quantidades de vitamina B12 (cerca de 2 a 5 mg). É no fígado que cerca de 50 a 90% da vitamina do corpo é armazenada. Teoricamente, estas reservas são suficientes para meses e até mesmo anos, mas muitas vezes esse não é o caso.

 Causas de deficiência de vitamina B12

  1. Transtornos, irritações, inflamações ou desordens da mucosa gástrica (diminuição das funções do FI) ou do intestino delgado, tal como gastrite, doença de Crohn, enterite crónica, diarreia crónica ou doenças do pâncreas. Nesses casos, a mucosa gástrica está desequilibrada e forma pouca quantidade da proteína de transporte, ou FI, ou pouco ácido no estômago. As funções de absorção da vitamina B12 são então limitadas ou mesmo, em determinados casos, impossíveis. O mesmo se aplica em uma perturbação ou inflamação do intestino delgado. Esses fatores podem reduzir significativamente a concentração de cobalamina no sangue. Pessoas com função gástrica diminuída e/ou mucosa duodenal inflamada podem, portanto, sofrer uma grave deficiência de vitamina B12, mesmo quando a consomem em quantidade suficiente na sua alimentação.
  2. Consumo de álcool ou drogas: O uso de álcool ou drogas consome uma grande quantidade de vitamina B12 e tem impacto na mucosa gástrica e no fígado, o que se reflete na função do FI, piorando a absorção da vitamina no intestino.
  3. Uma dieta alimentar com pouco conteúdo de vitamina B12. Se aplica, especialmente, no caso de vegetarianos e vegans.
  4. Um aumento da exigência da vitamina B12 devido a situações específicas, em que as necessidades não são adequadamente cobertas.  Em particular, no caso de “stress” crônico ou nitrosativo, em problemas provocados por sobrecargas, contato com metais pesados, toxinas, medicamentos ou traumatismos (por exemplo na coluna cervical).

Além desses, os seguintes fatores também são relevantes:

         • Parasitas.  As ténias, em particular, “roubam” do organismo altas quantidades de vitamina B12. Enquanto esses parasitas não são eliminados é muito difícil equilibrar os níveis de vitamina B12.

  • Remoção parcial do estômago devido a intervenções cirúrgicas.

  • Idade. Muitas vezes, as funções das paredes do estômago tornam-se ineficazes na terceira idade. A deficiência de vitamina B12 é um motivo comum para a fadiga, perda de memória e humor depressivo das pessoas mais velhas. 

  • Medicamentos. Contraceptivos e preparações hormonais (inibidores da bomba de protões), medicamentos para diabetes (metformina), anti-hipertensivos (ECA), medicamentos para distúrbios do ritmo cardíaco (beta bloqueadores, sprays de nitratos, nitroglicerina), medicamentos para baixar o colesterol (estatinas) contendo estrogênio influenciam a absorção da vitamina B12.

  • Doenças. Doenças do fígado (problemas de armazenamento e transporte). 

  • É importante assinalar que os primeiros sinais de deficiência de vitamina B podem assemelhar-se aos sintomas de flutuações sanguíneas de  hiperglicemia (nervosismo, desejos, problemas de concentração, agressividade, irritabilidade, alterações de humor repentinas e depressões refratárias). Curiosamente, os hidratos de carbono (isolados, de qualquer tipo), também são ricos em vitamina B necessária para o metabolismo de uma grande quantidade do açúcar. Além disso, elementos como o magnésio, crómio e zinco, assim como o magnésio mineral são consumidos por ele que, por sua vez, tem um efeito negativo indireto sobre as vitaminas do complexo B.

A vitamina B12 e o ácido fólico

Para a transformação do ácido fólico (vitamina B9) na sua forma ativa utilizável pelo organismo é necessária uma quantidade suficiente de vitamina B12. Quando falta, resulta em quantidades de ácido fólico ativas no corpo, já que ele só é armazenado em pequenas quantidades. A falta de ácido fólico é um problema muito comum e os seguintes sintomas podem aparecer rapidamente:

  • Anemia, fadiga, dificuldades de concentração, diminuição da quantidade de células brancas no sangue, enfraquecimento do sistema imunitário.

  • Perturbação e inflamação do estômago e da mucosa intestinal ou da boca, diminuição da absorção dos nutrientes, diarréia, perda de apetite, sequelas patológicas.

  • Dificuldades em engravidar.

  • Perturbações no desenvolvimento de fetos, bebês e jovens. Defeitos congênitos.

  • Estimulação do sistema nervoso central que se traduz em memória fraca, ansiedade ou depressão.

A deficiência de ácido fólico pode ainda ser causada por doenças estomacais ou intestinais, gravidez, desnutrição, drogas e alcoolismo crônico.

 Sintomas e consequências da vitamina B12 baixa

A vitamina B12 é extremamente importante para a proteção das células nervosas. A vitamina B12 baixa manifesta-se em frequentemente em problemas do sistema nervoso, por exemplo, na desmielinização dos nervos na medula espinhal. Os sintomas são, geralmente:

Nervosismo

  • Irritabilidade

  • Desde dormência ou formigamento em várias partes do corpo, especialmente nas extremidades, até dores nos membros (pernas, braços ou mãos)

  • Parestesia dolorosa nas extremidades (mãos, braços, pés, pernas)

  • Fadiga

  • Problemas neurológicos, como “burning”, língua vermelha e lisa

  • Depressão

Existe a possibilidade de que sintomas mencionados não sejam, numa primeira abordagem, imediatamente associados a vitamina B12 baixa.

Num caso estudado, o paciente sofria de dores nas pernas e na parte inferior das costas. Foi desenvolvido um diagnóstico que indicava erroneamente que se tratava de uma hérnia discal. Depois de várias consultas foi verificado após análise ao hemograma que os níveis de vitamina B12 estavam significativamente baixos. O médico foi considerado negligente, pois o paciente teria já mencionado que sofria de problemas no estômago.

Anemia

A vitamina B12 desempenha também um papel importante na formação das células vermelhas do corpo (eritrócitos), na medula óssea e no transporte de oxigénio e nutrientes do sangue para as células. Além disso, ela está envolvida na composição do ferro no interior das células vermelhas. A falta de oxigénio e nutrientes no organismo leva a uma excassez geral no corpo que se traduz em fraco desempenho, imunidade baixa, fadiga e exaustão. Esta forma específica de anemia é denominada de anemia perniciosa e pode se desenvolver para uma tipologia mais grave, a anemia megaloblástica.

Problemas digestivos

O terceiro foco se relaciona com a função da vitamina B12 para uma boa digestão e a absorção de nutrientes. Isso se verifica especialmente em:

• Prisão de ventre
• Diarréia
• Perda de apetite
• Inflamações na boca, estômago e intestino
• Perda de peso
• Pele amarelada

Problemas de visão

A deficiência de vitamina B12 pode levar a problemas de visão e criar pontos cegos.

Quantidades recomendadas de vitamina B12

vit-B12-necessidades-diarias

 Os valores recomendados pela Sociedade de Nutrição Alemã – Deutschen Gesellschaft für Ernährung e.V. (DGE) – para a dose diária de vitamina B12 são as seguintes:

Adultos3,0
Grávidas a partir do quarto mês3,5
Lactação4,0
Jovens 13-15 anos3,0
Crianças 10-12 anos2,0
Crianças 7-9 anos1,8
Crianças 4-6 anos1,5
Crianças 1-3 anos1,0
Bebês 4-12 meses0,8
Bebês 0-4 meses0,4

Nota: A recomendação da RDA nos EUA em 1998 é de 2,4 microgramas de vitamina B12 por dia para um adulto. A RDA UE é de 2,5 microgramas. Na nutrição médica doses de campo são de 10 a 1000 microgramas / dia. 

Referência: Dr. Helmut Heseker, Dipl Oec. troph. Beate Heseker; A tabela nutricional, 2 a ed., 2012, edição de livros New Umschau, pág 10.

Valores da vitamina B12 e diagnóstico de deficiência 

Para a detecção precoce de uma vitamina B12 baixa, uma análise á urina é altamente recomendada. Quando existe uma deficiência de vitamina B12, numerosos processos de metilação são afetados no organismo. O ácido metilmalônico não é corretamente processado pelo organismo e é fácilmente identificável na urina. Um teste do teor de vitamina B12 no soro sanguíneo não oferece uma indicação certa de uma vitamina B12 baixa mas pode ser visto como um indicador. O intervalo padrão é entre 200 a 600 pg/mg. Ver também o artigo sobre o teste de vitamina B12.

Em casos de suspeita de anemia perniciosa o seguinte é examinado:

  • Análises sanguíneas: hipercrômicas, anemia macrocítica, muitas vezes com trombocitopenia e leucopenia, deteção frequentemente positiva de auto-anticorpos contra células parietais do estômago (fator intrínseco) e para o tecido da tireóide.

  • Vitamina B12 e ácido fólico: níveis no soro do sangue. 

  • Exame neurológico pelo teste do reflexo e teste de continuidade (ataxia) e análise do sentido de vibração (teste diapasão). 

  • Fígado e baço: verificação da existência de um alargamento ligeiro. 

A vitamina B12 nos alimentos 

A vitamina B12 é exclusivamente formada por micro-organismos no sistema digestivo e em frutas ou vegetais que não foram lavados. As quantidades suficientes são encontradas principalmente em alimentos de origem animal – principalmente nas vísceras, mas também no peixe, carne e queijo. Legumes, frutas, gorduras vegetais, legumes, cereais, e  arroz, porém, não contém B12.

Vitamin B12 – Tabelapeixe-vitaminab12

Fígado bovino

65,0

2167%

Fígado de vitela

60,0

2000%

Ostras

14,5

483%

Cavalinha (peixe)

9,0

300%

Arenque

8,5

283%

Mexilhão

8,5

283%

Carne magra

5,0

167%

Truta

4,5

150%

Camembert

3,1

103%

Queijo Emmental

3,1

103%

gemas-vitamina-B12

Salmão

2,9

97%

Vitela magra

2,0

67%

Gemas de ovos de galinha 

2,0

67%

Queijo Edamer

2,0

67%

Queijo Gouda

1,9

63%

Ovos de galinha

1,8

60%

Muçarela

1,3

43%

Carne de porco, magra

1,0

33%

Queijo creme (mind. 10% Fett)

1,0

33%

Quark

0,9

30%

Queijo tipo cottage

0,7

23%

Anchovas

0,6

20%

Leite de ovelha

0,5

17%

Frango

0,4

13%

Leite de vaca

0,4

13%

Iogurte

0,4

13%

Claras de ovo de galinha

0,1

3%

Leite de cabra

0,1

3%

Cerveja Weissbier

0,1

3%

 

alimentos-vit-B12

 

Legumes

0

Frutas

0

Gorduras e óleos vegetais

0

Leguminosas
(feijões, ervilhas, etc.)

0

Ervas

0

Nozes e sementes

0

Grãos / Trigo

0

Amaranto

0

Quinoa

0

Arroz

0

Massas

0

Soja

0

Cogumelos

0

Cerveja

0

Cacau

0

espirulina

 Referência: Prof. Dr. Helmut Heseker, Dipl. oec. troph. Beate Heseker; Die Nährwerttabelle, 2. Aufl., 2012, Neuer Umschau Buchverlag, Pg. 22ff.

A vitamina B12, vegans e vegetarianos 

Pode-se dizer que em tempos remotos, vegetarianos e vegans conseguiam preencher as suas necessidades de vitamina B12 através do consumo de frutas e legumes que não foram lavados. Hoje, porém, os nossos alimentos são muito mais limpos bem como os insetos que os acompanham (não intencionalmente, claro), como larvas.

Hoje, além de não ser recomendável consumir alimentos sem os lavar, a demanda por nutrientes aumentou devido ao estresse e doenças. Os vegans, por não consumirem alimentos de origem animal, têm dificuldades em suprir as necessidades de vitamina B12. Embora esta seja considerada uma dieta bastante saudável é completar a dose diária de vitamina B12 ao suplementar, escolher e planejar as refeições.

Segundo os especialistas em medicina alternativa e naturopata, os seguintes alimentos são considerados fontes de vitaminas B12:

• Alimentos á base de ácido láctico fermentado (com microorganismos), por exemplo o chacrute;

• Algas – especialmente a espirulina 200 μg / 100g – nori ou chlorela;

• Bactérias presentes em derivados do tremoço;

• Alimentos á base de soja fermentados (miso, molho de soja, tempo)

Essas fontes de vitamina B12 possuem também formas de vitamina B12 análogas. Essas não são especialmente ativas mas alguns especialistas alertam para a possibilidade de impedirem a absorção correta da vitamina B12. Os estudos científicos apresentam visões contraditórias nesse assunto. Esses alimentos são também apenas considerados saudáveis quando consumidos em moderação. Devido á sua digestão pesada e a seus componentes específicos devem ser tomados com moderação, especialmente por aqueles que apresentam sintomas de doenças gastrointestinais. Dessa forma a quantidade de vitamina B12 oferecida por esses alimentos é limitada. Outra característica importante para verificar é a qualidade e o grau de pureza das algas que podem ser altamente contaminadas por metais pesados.

Em situações específicas, como em casos de estresse ou doença, é recomendado tomar suplementos de vitamina B12 que ajudam no fortalecimento do sistema nervoso e ativam a memória. Isso se aplica não só a veganos como também a vegetarianos que não consumam muitos produtos lácteos ou gemas. Como isso não é recomendado pela medicina natural – esses alimentos são difíceis de digerir, têm uma relação desfavorável de ácidos graxos, a mucilagem do leite, que contribui para a acidificação – o consumo em grandes quantidades deve ser evitado. Assim, para se garantir um consumo correto da vitamina B12 algumas decisões devem ser tomadas por vegetarianos e veganos.

 A vitamina B12 é sensível ao calor

Nota: A vitamina B12 é sensível ao calor e é significativamente reduzida quando os alimentos são preparados com temperaturas mais elevadas. Por exemplo, quando o leite é fervido durante apenas dois minutos, perde 30% do teor de B12. Dessa forma, os alimentos que contêm vitamina B12 não devem ser cozidos ou fritos em altas temperaturas.

Suplementos de vitamina B12

Quem não garante a quantidade diária recomendada de vitamina B12 a partir da alimentação é importante recorrer a suplementos existentes em diversas formas, como os orais, que podem apresentar a forma de cápsulas, pastilhas, gotas e sprays.  A absorção da vitamina é feita durante a digestão, nos primeiros casos, ou através da mucosa oral, no caso das gotas, sprays e da pasta de dentes de vitamina B12.

Para garantir o preenchimento das reservas do organismo ou quando o sistema digestivo não está funcionando perfeitamente, é recomendada a utilização de injecções. Desta forma, o processo de absorção digestiva é contornado, e as reservas podem ser repostas rapidamente.

Atualmente suplementos de alta dosagem podem ser considerados equivalentes a injecções, uma vez que existe uma quantidade de vitamina suficiente para ser absorvida por difusão passiva.

vitamina-b12-bulaVitamina B12: cápsulas e comprimidos 

Ao utilizar cápsulas, comprimidos, gotas ou spray de vitamina B12 é importante verificar se eles provém de fontes vegetais puras e de qualidade, que de uma perspectiva naturopática, essas preparações tem maior biodisponibilidade, eficácia e tolerabilidade.

Os suplementos de vitamina B12 são frequentemente compostos por metilcobalamina ou cianocobalamina (ou por vezes hidroxicobalamina). A cianocobalamina deve ser ativada no organismo. Em diversos sites a metilcobalamina é o composto mais utilizado, mas a bula ou descrição deve ser verificada para saber qual é o composto da sua vitamina.

A dosagem da vitamina B12

A dosagem dos suplementos de vitamina B12 é em grande parte dependente da sua aplicação e absorção. Os valores vão desde a mini-dose de 3 microgramas, para complementar a dieta alimentar, até 5000 microgramas em doses terapêuticas para o tratamento de doenças graves.

A maioria das pessoas reage bem a uma dose média de 150 a 250 microgramas. Os detalhes das doses individuais podem ser encontrados na secção relevante.

Superdosagem de vitamina B12 e efeitos secundários

A vitamina B12 é solúvel em água, quando existe um excesso da vitamina no organismo ela é expelida pelos rins na urina. Desta forma, uma superdosagem de vitamina B12 é muito rara, em contraste com as vitaminas solúveis em gordura, mesmo em níveis de mais de 10 mg por dia não se verificam casos de reações tóxicas em adultos.

Os nutricionistas consideram que os níveis de vitamina B12 são altos quando usadas 10 – 5.000 μg por dia. No entanto, deve ser tido em atenção que um excesso de vitaminas pode sobrecarregar e prejudicar os rins quando existe uma utilização excessiva e prolongada.

As injeções podem, por vezes, causar reações alérgicas graves, algumas causadas pelos ingredientes que acompanham a vitamina. Pessoas sensíveis ao composto cobalto podem por vezes verificar a ocorrência de acne.

Complexo da vitamina B, incluindo o ácido fólico

Quando existem desequilíbrios na ingestão de vitaminas, vários nutrientes são afetados. Muitas vezes não é suficiente reforçar apenas o consumo da vitamina B12. É aconselhável proceder a uma análise exaustiva também a outras vitaminas como as do complexo B que também são afetadas. Os suplementos de vitaminas do complexo B devem apresentar os seguintes compostos:

• Vitamina B1 (tiamina) como difosfato de tiamina;
• Vitamina B2 (riboflavina) como riboflavina-5′-fosfato;
• Vitamina B3 (niacina) e nicotinamida adenina dinucleotídeo fosfato,
• A vitamina B5 (ácido pantoténico) e ácido D-pantoténico;
• Vitamina B6 (piridoxina) e piridoxal-5-fosfato;
• Vitamina B7 (biotina) e D-biotina;
• Vitamina B9 (ácido fólico) e 5-metiltetrahidrofolato;
•Vitamina B12 como metilcobalamina, que em escassez aguda tem rápida reposição, ou como hidroxocobalamina (forma de depósito);

• Além disso, o inositol e a colina são complementares e benéficas.

 Referências

1 Dr. Lothar Burgerstein, Manual de Nutrientes, Trias Verlag, 12a Edição, Pág. 182ff.

2 Prof. Dr. Helmut Heseker, Dipl. oec. troph. Beate Heseker; A Tabela Nutricional, 2a Edição, 2012, Neuer Umschau Buchverlag
Autor: Dr. Jörg Schweikart




2 Responses to “A vitamina B12”

  1. olha que legal

Leave a Reply